antologia da noite em claro

Sunday, January 22, 2006

Chama

É confortável esta prisão
uns dias, vodca
outros, pão
bebo porque posso
morro quando quero
fogo é comigo mesmo
não vem com esse papo de Nero

2 Comments:

  • Esse eu já conhecia...

    È um dos meus preferidos!

    By Blogger Beatriz Fontes, at 8:09 AM  

  • Teu poema me lembrou uma canção que a Tania Bicalho canta( procure esta mulher, canta pra caralho, trocadilho dos infernos). A música é de Luizinho Lopes e se chama

    CORPO DE INCÊNDIO

    " vale rir, vale chorar
    também vale amar, odiar, odiar
    vale ter, vale perder
    também vale olhar , cegar, cegar

    Vocação de Nero pelos testes
    Era ser do corpo de bombeiros

    vale ir, vale voltar
    Também vale entrar, sair sair
    vale ser, vale morrer
    Também vale achar, sumir sumir

    Vale bem, vale até mais
    sua nudez substantivo ativo
    Abstrato é o seu calcanhar
    De Aquiles e um pouqinho meu

    Vocação do beijo pelos testes
    Sempre é ser do corpo de incêndios"

    Essa canção seria o fundo musical perfeito para teu poema, meu querido.
    eu tenho os cd's dela. Se quiser, copie.

    By Blogger Tatiana, at 1:56 PM  

Post a Comment

<< Home