antologia da noite em claro

Tuesday, January 24, 2006

Quarto

Além dessas páginas se esgota o mundo
por isso é o quarto
– e não a rua –
o grande depósito do tempo.
Fora da cama
não há nudez ou nuvem
só esta vertigem
materializada e vibrante
que oscila no vapor do asfalto
ao meio-dia.
Além do sol que viu nascer o homem
só existe a realidade do quarto:
espelho do armário
estante de livros
fronha, pantufas
e milhões de anos de espera

por um poema que explique tudo.

1 Comments:

  • Gosto do olhar que vê o mundo por dentro de algum lugar.
    POr que será que todo poeta tem sempre esta angústia de cosneguir dizer tudo? Dizer tanto?
    Porque essa necessidade de dizer?
    Não sei.
    Sinto isso e me sinto coisa menor por não conseguir.
    To gostando, to gostando do Bruno poeta.

    By Blogger Tatiana, at 12:57 PM  

Post a Comment

<< Home