antologia da noite em claro

Friday, February 17, 2006

A mulher fatal

A mulher fatal já está presente
No jeito que a menina tem de ajeitar os cabelos.
Gesto delicado e preciso, leva a mecha do rosto
Para trás da orelha num piscar de olhos.
E o faz com tal leveza e decisão
– Mascando seu chicle de bola como se nada,
Que todo o mundo repara – os adultos
Com certo rubor. Afinal, poderia ser minha filha
(É o que pensam, não dizem).


Em dois anos, no máximo
Guerras serão feitas em seu nome
Exércitos cairão aos seus pés

Haverá incêndios e ranger de dentes.
Mas ela finge dar de ombros
- E que ombros!
Enquanto deita o olhar indiferente
Pela janela do ônibus. A indiferença própria
Da mulher fatal aos treze anos.

1 Comments:

  • Eu já fui assim, meu bem.
    Mas o tempo é implacável, a bunda cai, o peito cai e a única guerra que se trava agora é contra ele. O tempo.

    By Blogger Flordalma, at 7:04 AM  

Post a Comment

<< Home